Arquivos Mensais: junho 2013

Imagens do telescópio Hubble – Galáxias Arp 142 – NGC 2933 e NGC 2937

imagem-galaxias-arp-142-ngc-2933-2937-pinguim-nasa

Uma imagem feita pelo Hubble, telescópio da Nasa (agência especial americana) e da ESA (agência espacial europeia), mostra uma dupla de galáxias que, ao interagirem, tomaram a forma parecida a um pinguim cuidando de seu ovo.

A dupla, conhecida como Arp 142, fica na constelação de Hydra e é formada pelas galáxias NGC 2936 e pela NGC 2937.

A primeira (no centro da imagem, nas cores azul e vermelha), era originalmente uma galáxia em espiral comum que ganhou formato parecido ao de um pinguim. Ela foi modificada pela interação com sua companheira cósmica, a NGC 2937, visível nesta imagem com um formato oval branco brilhante (o “ovo”).

Quando duas galáxias ficam tão próximas uma da outra, elas começam a interagir, o que provoca mudanças espetaculares em ambas. Em alguns casos, elas podem se fundir, mas em outros elas se separam novamente.

A arte em spray

A cada dia descubro novos e impressionantes artistas que dominam com excelência a arte do graffiti. Até já fiz um post anteriormente sobre o @instagrafite, um perfil no Instagram que divulga o trabalho de vários artistas pelo mundo.

Pois bem. O destaque dessa vez é o inglês David Walker. Um cara muito talentosos que, através de seu trabalho bastante autoral, mistura caos e beleza retratando sempre rostos femininos em meio a uma explosão de linhas e cores.

foto-imagem-arte foto-imagem--arte foto-imagem--arte foto-imagem-arte foto-imagem-arte foto-imagem-arte-david-walker

Tromba-d´água – Veja foto do fenômeno que ocorreu em Grand Isle, ilha na Luisiana

foto-tromba-dagua-imagemUm empresário flagrou uma tromba-d’água nesta quarta-feira (19) em Grand Isle, ilha na costa do estado americano da Louisiana.
A tromba-d’água provocou apenas pequenos danos, segundo o serviço meteorológico dos EUA.

Copa das Confederações

foto-imagem-Copa-das-Confederações

A partida de abertura da Copa das Confederações terminou com uma vitória por 3 a 0 da Seleção Brasileira sobre o Japão. Lotado, o Estádio Mané Garrincha, em Brasília, assistiu aos gols de Neymar, Paulinho e Jô.

foto-imagem-Copa-das-Confederações

A Seleção Brasileira estreou na Copa das Confederações com um gol logo nos primeiros minutos da partida contra o Japão, em Brasília. Neymar arrematou de primeira uma bola ajeitada por Fred e fez um belo gol.

foto-imagem-Copa-das-Confederações

Diante de um Mineirão repleto de lugares vazios, a Nigéria iniciou o duelo contra o Taiti com dois gols em menos de dez minutos e terminou o primeiro tempo com uma vantagem de 3 a 0 no placar.

foto-imagem-Copa-das-Confederações

 

Apesar de ser goleada por 6 a 1 em sua estreia contra a Nigéria, a seleção do Taiti ganhou a simpatia do público e causou surpresa ao conseguir marcar um gol contra os campeões africanos nesta segunda-feira, no Mineirão.

Um país amigável, porém complexo

O fotógrafo neo-zelandês Amos Chapple viajou ao Irã e encontrou uma sociedade estimulada pela energia dos jovens e rica em herança cultural. Em uma tentativa de olhar além das manchetes habituais e investigar mais fundo, ele descobriu um Irã muito mais amigável e bem mais complexo do que esperava.

O Irã tem uma população jovem e o desemprego entre a faixa etária dos 15 aos 29 anos é alto. Este grupo de amigos se disse preocupado com “a maneira pela qual a nação é percebida no exterior”.

A taxa de desemprego tem-se mantido acima dos 10% desde 1997, mas acredita-se que extra-oficialmente o índice seja muito maior, e que a taxa de desemprego para mulheres seja quase o dobro daquela dos homens.

Em contraste à vibrante capital, Teerã, as áreas rurais não são geralmente vistas pelos estrangeiros.

Muitos visitantes vão até as espetaculares ruínas de Persépolis – capital do antigo Império Persa Aquemênida – cujo primeiro imperador foi Ciro, o Grande. A cidade foi construída por Dario, o Grande, mantida por seu filho, Xerxes, e destruída por Alexandre 3º, da Macedônia.

A tensa relação do Irã com os Estados Unidos também permanece evidente visualmente. Um muro foi colocado em torno da antiga Embaixada dos EUA em Teerã, e em fevereiro, o Supremo Líder do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, desconsiderou uma oferta de negociações bilaterais diretas com Washington sobre o programa nuclear iraniano.

foto-imagem-Life-in-Iran

O fotógrafo neo-zelandês Amos Chapple viajou ao Irã e encontrou uma sociedade estimulada pela energia dos jovens e rica em herança cultural. Em uma tentativa de olhar além das manchetes habituais e investigar mais fundo, ele descobriu um Irã muito mais amigável e bem mais complexo do que esperava.

foto-imagem-Life-in-Iran

Em contraste à vibrante capital, Teerã, as áreas rurais não são geralmente vistas pelos estrangeiros. Próxima da fronteira com o Iraque, a vila de Palangan tem recebido ajuda do governo.

foto-imagem-Life-in-Iran

A taxa de desemprego tem-se mantido acima dos 10% desde 1997, mas acredita-se que extra-oficialmente o índice seja muito maior, e que o desemprego entre as mulheres seja quase o dobro daquele entre os homens.

foto-imagem-Life-in-Iran

A tensa relação do Irã com os Estados Unidos também permanece evidente visualmente. Um muro foi colocado em torno da antiga Embaixada dos EUA em Teerã, e em fevereiro, o Supremo Líder do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, desconsiderou uma oferta de negociações bilaterais diretas com Washington sobre o programa nuclear iraniano.

foto-imagem-Life-in-Iran

Chapple flagrou um prato comemorativo do antigo xá uma loja de antiguidades em Shiraz. O xá Mohammad Reza Pahlavi, um forte aliado dos Estados Unidos, buscou uma política de modernização e secularização do país. Deposto durante a Revolução Islâmica, em 1979, ele morreu no exílio, no Egito, em 1980

foto-imagem-Life-in-Iran

Os resquícios de uma de suas estátuas ainda podem ser vitos no complexo do Palácio Sa’adabad, no norte de Teerã. “Hoje em dia as crianças em idade escolar são levadas para visitarem o interior do palácio e verem a decadência do lugar em que o xá vivia”, diz Chapple.

Fotos da “serpente das profundezas” – Peixe-remo ou regaleco pode medir 17 metros – Nome científico Regalecus Glesne

foto-serpente-das-profundezas-peixe-remo-regaleco-imagem
Pesquisadores da Universidade Estadual da Louisiana, nos Estados Unidos, conseguiram captar imagens inéditas de um peixe-remo (Regalecus glesne), também chamado de regaleco, que vive nas profundezas do mar.De acordo com Mark Benfield, pesquisador e responsável por realizar as imagens na região do Golfo do México com um veículo operado remotamente, as imagens ajudaram a dar mais detalhes sobre esta espécie no estudo publicado no início de junho no “Journal of Fish Biology”. Foi a primeira vez que o animal foi perfeitamente visualizado.

foto-serpente-das-profundezas-peixe-remo-regaleco

O regaleco é um dos maiores peixes do mundo. Segundo Benfield, essa espécie pode atingir entre 8 metros e até 17 metros de comprimento e vive em águas temperadas e tropicais, a uma profundidade de até 3 mil metros. Alguns pesquisadores gostam de se referir a este animal como serpente marinha.

Imagens animadas de moléculas 3D

  • Molécula 3D

O estúdio de animação, XVIVO, de Connecticut, nos Estados Unidos, transformou os mecanismos do corpo humano em uma animação 3D cujo objetivo é ajudar estudantes e cientistas a encontrar novas formas de compreender o corpo humano.O projeto inclui representações da medula óssea e do ouvido interno, entre outros.

“Cientistas geralmente têm histórias complexas para contar e nós os ajudamos a simplificar (isso) com a animação e as imagens”, afirmou Michael Astrachan, presidente e fundador da XVIVO.

A animação usa reproduções de imagens de microscópios eletrônicos e ilustrações médicas e fotos para recriar fotos de partes do corpo no nível molecular.

Apesar de o projeto ter usado dados reais, o equipamento usado para produzir as imagens microscópicas não registra cores, então os ilustradores acrescentaram suas próprias tonalidades e matizes.

“Existem vários objetivos para nossas animações médicas”, afirmou Astrachan.

“Várias de nossas mídias científicas são usadas para educar médicos sobre novos alvos moleculares e terapias e parte de nossa arte médica é criada apenas para inspirar as pessoas a aprender mais sobre as maravilhas da biologia.”

foto-imagem-XVIVO

 

O estúdio de animação, XVIVO, de Connecticut, nos EUA, transformou os mecanismos do corpo humano em uma animação 3D cujo objetivo é ajudar estudantes e cientistas a encontrar novas formas de compreender o corpo humano. Acima, uma saliência irregular na membrana de plasma de uma célula.

foto-imagem-XVIVO

O projeto inclui representações da medula óssea, de uma estrutura protetora dentro do trato gastrointestinal e do ouvido interno. Acima, Sterocilia, as organelas sensíveis de células de pelo encontradas no ouvido interno, que respondem ao movimento de fluidos para cumprir várias funções, incluindo audição e equilíbrio.

foto-imagem-XVIVO

‘Cientistas geralmente têm histórias complexas para contar e nós os ajudamos a simplificar com a animação e as imagens’, afirmou Michael Astrachan, presidente e fundador da XVIVO. Acima, uma cinesina, uma proteína motora que transita através de estruturas da célula chamadas microtúbulos.

foto-imagem-XVIVO

A animação usa reproduções de imagens de microscópios eletrônicos, ilustrações médicas e fotos para recriar fotos de partes do corpo no nível molecular. Acima, uma cavidade da medula onde podem ser vistas células-tronco hematopoiéticas.

foto-imagem-XVIVO

Apesar de o projeto ter usado dados reais, o equipamento usado para produzir as imagens microscópicas não produz cores, então os ilustradores acrescentaram suas próprias tonalidades e matizes. Acima, um vírus que infecta e se reproduz dentro de bactérias.

foto-imagem-XVIVO

‘Existem vários objetivos para nossas animações médicas’, afirmou Astrachan. ‘Várias de nossas mídias científicas são usadas para educar médicos sobre novos alvos moleculares e terapias e parte de nossa arte médica é criada apenas para inspirar as pessoas a aprender mais sobre as maravilhas da biologia.’ Acima, o fator de transformação de crescimento Beta, um polipeptídeo encontrado no leite.

Top 5 de novas espécies

foto-imagem-Lucihormetica-luckae 

Esta é a ‘Lucihormetica luckae’, uma espécie de barata descoberta no Equador. Desde a primeira descoberta de uma barata fluorescente em 1999, mais de uma dezena de espécies já foram encontradas. Todas estão em áreas remotas. Esta é uma das novas espécies anunciadas pelo Instituto Internacional para a Exploração de Espécies da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos.

foto-imagem-eugenia-petrikensis

 

Esta nova espécie, ‘Eugenia petrikensis’, é um arbusto que pode alcançar até dois metros, com folhagem verde esmeralda, ligeiramente brilhante e cachos de pequenas flores magenta. É uma das sete novas variedades descritas em um bosque litoral leste de Madagascar e é considerada em risco de extinção.

foto-imagem-lesula-monkey

 

Descoberto na bacia do rio Lomami, na República Democrática do Congo, o lesula (acima) é muito conhecido dos nativos, mas, até agora, era desconhecido para os cientistas. Esta é a segunda espécie de macaco descoberta na África nos últimos 28 anos.

foto-imagem-mine-snake

 

Esta falsa coral, a ‘Sibon noalamina’, foi descoberta nos bosques tropicais das terras altas do oeste do Panamá. Tem hábitos noturnos e caça presas como minhocas. ovos de anfíbios, caracóis e lesmas.

foto-imagem-paedophryne

 

Esta pequena nova espécie de rã tem apenas sete milímetros e estabeleceu o recorde de menor espécie de vertebrados do mundo. Foi descoberta em Papua Nova Guiné.