Arquivos Mensais: julho 2013

Buraco no sol – Nasa fotografa buraco gigante na atmosfera solar

foto-sol-buracos-coronais-atmosfera-solarUma sonda da Nasa e da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) registrou um buraco gigante na atmosfera solar, na área do polo norte do Sol.

A sonda Observatório Solar e Helioscópico (SOHO, na sigla em inglês) capturou a imagem do buraco gigantesco no dia 18 de julho.

A Nasa afirma que os buracos, chamados de coronais, são regiões escuras de baixa densidade da camada mais externa da atmosfera solar, chamada de corona.

Estes buracos têm pouco material solar, temperaturas mais baixas e, por isso, aparecem mais escuros nas imagens.

Os buracos coronais são ocorrências típicas do Sol, mas costumam aparecer em outros lugares e com mais frequência em momentos diferentes do ciclo de atividade solar, que dura cerca de 11 anos.
O ciclo de atividade solar atualmente está se encaminhando para o chamado máximo solar, um pico na atividade que deve ocorrer no final de 2013.

Durante esta parte do ciclo, o número de buracos coronais diminui. No pico da atividade solar, os campos magnéticos no Sol mudam e novos buracos coronais aparecem perto dos polos.
O número destes buracos então aumenta e eles crescem de tamanho, se estendendo para além dos polos, enquando o ciclo solar volta para o mínimo de atividade novamente.

Os buracos são importantes para a compreensão do clima no espaço, pois eles são a fonte de ventos de alta velocidade com partículas solares, que são expelidos do Sol três vezes mais rápido do que os ventos solares vindos de outros lugares.

Ainda não se sabe a causa dos buracos coronais, mas eles estão correlacionados a áreas do Sol onde os campos magnéticos aumentam e sobem, não conseguindo cair de volta para a superfície do Sol, como fazem em outros lugares.

Formações rochosas no oceano embelezam o mar ao redor do mundo

      Você sabe o que são falésias? São paredes grandes e íngremes esculpidas pela ação do mar durante milhões de anos. Elas apareceram entre as eras glaciais por conta da erosão marítima e do nível do oceano, que subia até 12 metros.

      No Brasil, essas falésias chegam a 20 metros de altura e o seu formato varia de acordo com o tipo de rocha de que é formada. Temos as do tipo avermelhadas, feitas a partir de terrenos de arenito – encontradas do Amapá ao Rio de Janeiro -, e, no sul do país, predominam as de granito. Mas, independente do tipo de material, seus contornos e tamanhos é que impressionam. Graças à ação do oceano, algumas lembram pirâmides invertidas e nos faz pensar como estão de pé. Selecionamos algumas ao redor do mundo.

foto-imagem-natureza

 

A rocha Dan Bristy tem 50 metros de altura e fica a 80 metros da praia, na costa da Irlanda

foto-imagem-natureza

 

Chamada de Sail Rock, rocha vela, fica localizada na Rússia, a 17 km de Gelendzhik. Tem 30 metros de comprimento e 25 de altura

foto-imagem-natureza

 

Composta de arenito vermelho, essa obra da natureza se chama Hoy Rock e fica na Escócia. Tem impressionantes 137 metros de altura.

foto-imagem-natureza

 

A Khao Phing Kan Rock, na Tailândia, nem é tão alta: tem apenas 20 metros de altura. No entanto, seu formato com base estreita impressiona.

foto-imagem-natureza

 

Chamada de Doze Apóstolos, este conjunto de falésias fica bem próxima da costa de Victoria, na Austrália.

foto-imagem-natureza

 

A rocha Kicker, no Equador, também é conhecida como “leão adormecido”. Está localizada nas ilhas Galápagos e tem 152 metros de altura.

Capa da Time – Chifres do Papa Francisco – Publicação questiona se pontífice pode recuperar a Igreja latino-americana.

foto-da-capa-revista-time-chifre-cabeca-papa-franciscoInternautas e vários sites brincaram nesta segunda-feira (22), nas redes sociais, com o fato de a capa da revista “Time” dedicada ao Papa Francisco dar a impressão de que o pontífice está com “chifresvermelhos.A impressão é dada pela foto do papa, sobreposta à letra M do título da revista semanal.

Com o título de “O Papa do povo” na capa e “Um Papa para os pobres” na matéria interna, a publicação trouxe um perfil do pontífice argentino, às vésperas de sua vinda para a Jornada Mundial da Juventude do Rio de Janeiro.

A publicação questiona-se se o novo Papa poderá recuperar a Igreja Católica na América Latina.

A reportagem afirma que a ida ao Brasil vai ser uma oportunidade para medir as forças do “Papa humilde” e o modo como ele está refrescando a face do papado.

“No Brasil, o mais populoso dos países católicos no mais católico dos continentes, [o Papa Francisco] vai encarar, em microcosmos, os desafios com os quais a Igreja está confrontada ao redor do mundo: o magnetismo do evangelismo protestante e as tentações da cultura secular”, diz o autor. “E é nessa enorme nação latino-americana que o Papa dos pobres pode começar a ter a influência desestabilizadora que o Papa João Paulo II teve na Europa Oriental: virar a maré contra os rivais da Igreja e restabelecer seu primado no lugar onde uma vez ela teve domínio incontestável.”

fotógrafa quer ajudar mulheres a aceitar marcas do pós-parto

  • A beleza do corpo feminino após o parto

Muitas mulheres ficam com cicatrizes, estrias e flacidez da pele após um parto. É uma realidade que as próprias mulheres muitas vezes tentam esconder e a mídia nunca quer mostrar. Mas uma fotógrafa está na missão de redefinir o conceito do copo da mulher bonita.

Jade Beall, que mora no Arizona, nos Estados Unidos, um dia entrou em seu estúdio com seu bebê de cinco semanas de idade, tirou a roupa, e fez uma série de fotos.

Era um corpo que ela não conhecia. Era um formato de corpo que ela nunca tinha tido antes da gravidez. E ela não gostou muito do que viu.

Mas Beall decidiu publicar as fotos em seu blog de fotografia, com o intuito de compartilhar um outro lado da maternidade, que não costuma ser mostrado.

A mídia está cheia de imagens de corpos femininos. Mas não desses tipos de corpos.

“Tantas pessoas me dizem, ‘Oh, eu nunca vi um corpo como esse”, diz Beall.

“Não quero que as pessoas achem as minhas fotos de mau gosto. Quero que elas olhem e digam, ‘Oh, isso é uma mulher extremamente humana, ou, essa é uma mulher que tem cicatrizes e linhas com histórias para contar.”

“Meu objetivo é ajudar essas mães a se sentirem dignas de serem chamadas de belas,” concluiu Beall.

‘A Beautiful Body’

Logo depois, Beall postou uma foto no Facebook do estômago suavemente flácido de uma amiga, com seus dois filhos aninhados.

A foto se tornou um viral. Começaram a chover e-mails, e centenas de mulheres escreveram para dizer que também queriam fotos tiradas do corpo pós-gravidez.

Beall já fotografou mais de 70 mães que irão aparecer no livro A Beautiful Body (“Um Belo Corpo”, em tradução livre), que deve ser lançado em janeiro. Ela não usou maquiadores, e não há nenhum tipo de retoque nas fotos.

“Quando ela me enviou as primeiras imagens após a sessão de fotos, eu lembro de ter suado frio”, diz Nicole Meade, uma das mulheres que se voluntariaram para ser fotografada.

A maioria das mulheres que participaram têm vergonha de seus corpos, e Meade não é exceção.

Desde que teve seu primeiro filho, ela tentou esconder a barriga. Ir para a praia de biquíni estava fora de questão.

Aterrorizada, mas determinada a assumir o desafio, Meade levou seus três filhos para a sessão de fotos, e quis que eles participassem.

“Perguntei aos meninos, e a reação deles foi, ‘qual é o sentido disso?’ E eu disse que eles estariam fazendo isso por todas as suas primas, e meninas que um dia eles viriam a namorar, ou casar, e por suas próprias filhas – porque não há nenhum registro desse tipo por aí “, diz ela.

“Eu gosto da ideia de que meus filhos vão ter uma noção real de como o corpo de suas esposas vão ficar depois que elas tiverem filhos. Não deve haver nada chocante ou perturbador sobre uma imagem como essa”, diz Meade.

Realidade distorcida

Quando Demi Moore posou nua com sua enorme barriga de grávida, na capa da revista Vanity Fair, em 1991, foi visto como um divisor de águas.

Desde então sessões de fotos de grávidas tornaram-se bastante populares entre as mulheres em geral. Mas é uma história muito diferente para as mulheres após o parto, diz a socióloga Meredith Nash.

“Na cultura popular, apenas as histórias de celebridades que recuperaram o corpo rapidamente após o parto são retratadas,” diz ela.

Esta é uma visão irreal e distorcida da realidade para muitas mulheres – que podem nunca conseguir recuperar seus corpos pré-gravidez.

Beall acredita que se uma celebridade fizesse algo como a Demi Moore fez, mas para mulheres após a gravidez, atitudes poderiam começar a mudar.

“Se alguma mulher famosa quiser entrar em contato comigo, ficarei muito feliz em responder!” Beall ri, acrescentando que ainda está recrutando voluntárias.

Mas Max Vadukul, um fotógrafo baseado em Nova York, que trabalhou para a revista Vogue, não espera ver uma imagem como essa na capa de um revista tão cedo.

“O impulso para retocar uma imagem é algo que a maioria dos fotógrafos e editores de revistas simplesmente não conseguem resistir,” diz Vadukul.

E fazer com que modelos e celebridades aceitem ser fotografadas com suas estrias a mostra seria algo muito difícil, já que seus trabalhos, e toda a indústria ao redor delas, giram em torno do conceito de perfeição.

Nova autoestima

Para alguns, a ideia de que as estrias são belas, é algo muito distante.

Beall diz que muitas de suas clientes, à primeira vista, não gostam das imagens, e focam no que elas veem como áreas problemáticas — um foco de gordura, uma ruga, uma estria.

Mas ela diz que quanto mais elas olham, mais elas começam a enxergar a beleza das imagens.

Christina Berry, que participou do livro, diz que ela sempre lutou para aceitar seu corpo, mas a sessão de fotos deixou ela com uma nova confiança.

“Ainda é um trabalho em andamento. Eu não vou dizer que todos os dias eu me sinto 100% a mais sexy e mais confiante”, diz Berry.

“Mas eu lembro o que eu fiz e vou ver as fotos, e penso ‘Uau, eu sou linda!”

O marido de Berry, Chris, diz que os homens tendem a ter conversas superficiais entre si sobre a maneira como os corpos de suas parceiras mudam, ou podem mudar, após a gravidez – e são, normalmente, despreparados para a realidade.

“Vendo as fotos dela, e depois as fotos de outras mulheres, pensei: “Cara, como eu posso não reconhecer o que é real e importante quando se trata da aparência física da minha mulher. ”

“Eu nunca vou passar pelo o que ela passou para ter essas marcas, e por isso nunca vou precisar lidar com isso, e ela sim.”, diz Chris.

“Eu acho que essas mulheres são poderosas. Acho que minha mulher é incrível, e eu acho que isso era algo que eu precisava ver e precisava entender. E eu espero que as imagens continuem a fazer isso por outros homens,” concluiu Chris.

O projeto de Beall teve um grande apoio no site de financiamento coletivo Kickstarter – mais de mil pessoas apoiaram, e Beall levantou quase três vezes o valor que ela estava procurando.

E ela conseguiu outra vitória. Quando, no outro dia, procurou no Google por “corpo bonito”, ela teve uma grande surpresa.

“Minhas imagens em preto e branco estavam por toda parte, junto com todas aquelas fotos retocadas. Foi como, ‘Oh meu Deus, isso está acontecendo!”, contou Beall.

corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto

Imagens arte e arquitetura

Grandes imagens de arte e arquitetura que mostra todos os detalhes da forma natural 

foto-imagem-arte foto-imagem-arte foto-imagem-arte foto-imagem-arte foto-imagem-arte foto-imagem-arte foto-imagem-arte foto-imagem-arte

Fotos bar na árvore – Tomar cerveja no interior de uma planta? Espécie gigante e oca e abriga pub na África

foto-bar-na-arvore-baoba-pub-africa-imagem

As árvores Baobá são conhecidas pelas proporções gigantescas que podem atingir. Mas este exemplar, na África do Sul, é especial não só pelo tamanho espetacular, mas porque abriga um bar dentro de seu tronco. O Sunland Baobab Pub fica dentro de uma planta de cerca de 6 mil anos, apontada como uma das mais antigas de todo o mundo. Chamada de Big Baobab, ela também é uma das maiores atualmente, com circunferência de 55 metros.

foto-bar-na-arvore-baoba-pub-africa

O tronco oco, natural em exemplares com mais de 100 anos, tem balcão, mesa e bancos de madeira, onde até 15 visitantes podem consumir bebidas ou fazer atividades de pubs, como atirar dardos. O bar é pequeno e aconchegante, em ambiente com cerca de 4 metros de altura. Mas a área externa também pode ser bem aproveitada, graças à sombra da árvore milenar. Lá ficam mesas onde é possível fazer refeições mais elaboradas, preparadas pelos proprietários, a família Van Heerden. O estabelecimento fica dentro da fazenda Sunland, em Modjadjiskloof, onde também há um hotel.

foto-bar-na-arvore-baoba-pub-africa-interior

 

foto-bar-na-arvore-baoba-pub-africa-interior-imagem

A perfeição do sol

foto-imagem-sol

Na foto de Enéas M. Neto, o nascer do sol com uma revoada de garças na Cidade de São Bento do Una, no interior de Pernambuco.

foto-imagem-sol

Pôr do Sol em Madri, numa tarde de inverno. Foto de Nelson Garcia Perandréa.

foto-imagem-sol

O sol de verão “pinta” o piso do Museu Louvre, em Paris. Por Nelson Garcia Perandréa.

foto-imagem-sol

Este belíssimo pôr do Sol foi clicado em Pamukkale, na Turquia, em setembro do ano passado, por Angelice Rocha Santos Abramov. foto-imagem-sol

Helivelto Lima registrou o sol no solstício de inverno em um sítio arqueológico em Macaúbas, na Bahia.

foto-imagem-sol

Esta imagem mostra os raios do sol perfurando a vegetação a margem do Rio Piracicaba, no interior de São Paulo. A leitora Shirlei Tatsukawa capturou a foto durante um passeio de barco. foto-imagem-sol

Relógio do sol no Rio de Janeiro, por Pércio Augusto Mardini Farias. foto-imagem-sol

Nossos leitores mandaram fotos para a galeria dos leitores desta semana, cujo tema é Sol. Começamos com a imagem de Ioannis Simeon Theoharidis, que capturou o pôr do Sol na volta de uma viagem de férias das Bahamas.

Coelho com chifres – Animal foi encontrado no quintal da casa de um americano

coelho-com-chifre-foto-imagemUm morador da cidade de Mankato, no estado de Minnesota, norte dos Estados Unidos, filmou e fotografou um coelho um tanto incomum que apareceu no quintal de sua casa. O animal tem o que aparentam ser vários chifres ao redor da cabeça. Por isso, recebeu o apelido de Frankenstein.Um vídeo postado no YouTube em 29 de junho com o título de “O coelho mais assustador do mundo” (“The world’s scariest rabbit”), que mostra o pequeno Frankenstein em ação, já atraiu mais de 200 mil visitantes.

O autor das imagens, Gunnar Boettcher, diz suspeitar que a anormalidade tenha sido provocada por uma doença relacionada ao papillomavírus. Segundo um porta voz do Departamento de Recursos Naturais de Minnesota, a suspeita pode estar correta, já que o problema não é incomum em coelhos. Apesar disso, o especialista afirma nunca ter visto nada parecido.

O macaco da bola azul da Porta dos Fundos!

E mais uma vez a “Porta dos Fundos” surpreende com humor ácido na rede.  O Macaco de bola azul é também conheci como Chlorocebus aethiops é um macaco do velho mundo que possui logos tufos de pelo branco na lateral da face. Seu habitat é a savana e este curioso animal é mais ativo de manhã e no início da noite.Macaco-da-bola-azul-Porta-dos-fundos-Ambientalistas-em-rede-1 Macaco-da-bola-azul-Porta-dos-fundos-Ambientalistas-em-rede-2 KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA Macaco-da-bola-azul-Porta-dos-fundos-Ambientalistas-em-rede-4

Seus hábitos alimentares consistem de comer principalmente frutas, vegetais e mamíferos pequenos, às vezes, insetos e aves, tornando-se um onívoro.

Na hierarquia de machos, o alfa mostra seu domínio colocando a sua cauda em uma posição rígida de pé e a cor azulada dos testículos tem serve de referencia à potência de dominância física como atração sexual dentro do grupo. Ou seja, quando mais azulado for o testículo, mais destacado dentro do grupo será o macho. As fêmeas têm um número limitado de companheiros, enquanto os machos possuem numerosas fêmeas.

Fotógrafo de Viagem do Ano 2012

foto-imagem-cinza-da-escociaIncríveis imagens captadas em mais de 90 países por fotógrafos viajantes, profissionais ou não, participaram do concurso Fotógrafo de Viagem do Ano 2012.O britânico Craig Easton foi o vencedor geral do concurso, com fotos que destacam a estranha beleza do clima ‘úmido, cinza, triste e escuro’ da Escócia.

As imagens do prêmio Fotógrafo de Viagem do Ano 2012, escolhidas pelo site Travel Photographer of the Year, estão expostas na Royal Geographical Society, em Kensington, Londres, de 12 de julho a 18 de agosto.