Arquivos de Categorias: Mulher - Page 2

Melhores fotos de lugares e arte

foto-imagem-nepalUm turbilhão de pombos chove sobre os visitantes humanos e bovinos de Durbar Square em Kathmandu, Nepal. As aves são um elemento comum nesta Património Mundial da UNESCO, situado em frente ao antigo palácio real que serviu como residência real nepalesa até o século 19. Hoje, o palácio é operado como um museu.foto-imagem-Champagne-Ardenne

A supercélula brilha acima dos campos no norte do Champagne-Ardenne, França, ameaçando uma tempestade severa. Alguns dos melhores vinhos da França vêm da região e uso da denominação Champagne é limitada (e estritamente regulamentado) para apenas cinco distritos.

foto-imagem--Nova -Zelândia

Tons pastel rodeiam uma árvore meio submerso no lago Wanaka, Otago, Nova Zelândia. O lago é o país o quarto maior e está protegido por legislação especial, devido à sua natural costa não modificado.

foto-imagem-golfinhos

Capturado em um chuveiro etéreo de luz do sol, um grupo de golfinhos alimenta nas águas de Bimini, no distrito ocidental das Bahamas. “O momento foi mágico quando todos eles vieram de uma só vez”, escreve o fotógrafo Nadia Aly. “Foi esmagadoramente bonito.”

foto-imagem-oryx

“Na parte da tarde, era tão quente na parte inferior da duna que o órix correu para o topo da duna para o coolness”, escreve Bo Fu, que enviou essa foto para o Traveler. Muitas vezes referida como o unicórnio da Arábia, o órix uma vez permaneceu à beira da extinção; em 1972 apenas seis animais permaneceram em estado selvagem. Agora, mais de um milhar de pessoas povoar sua escala nativa da Arábia Saudita, Jordânia, Israel e os Emirados Árabes Unidos.

foto-imagem-coruja-do-nabalA coruja-do-nabal mantém um olho aberto enquanto relaxa em uma reserva natural do Kuwait. A coruja-do-nabal, que chama todos os continentes, exceto na Austrália e Antártida casa, prefere campo aberto, pântanos, tundra, e os campos de convivência. Durante o dia, capoeiras no chão ou em um processo aberto, baixo poleiro.

foto-imagem-menino-cubamenino salta uma bola fora de uma parede em Cuba. A cerca de 800 milhas de ponta a ponta, Cuba é a maior ilha do Caribe e um centro de turismo florescente para os viajantes provenientes do Canadá e da Europa. Com quatro praças principais e uma série de hotéis boutique, museus e galerias, Havana Velha, na capital do país insular é uma das atrações mais interessantes do país.

foto-imagem-Champagne-ArdenneA supercélula brilha acima dos campos no norte do Champagne-Ardenne, França, ameaçando uma tempestade severa. Alguns dos melhores vinhos da França vêm da região e uso da denominação Champagne é limitada (e estritamente regulamentado) para apenas cinco distritos.

foto-imagem-TailândiaVelejadores remar o rio Nam Lang, um canal de água doce que flui através de Tham Lod caverna na região de Mae Hong Son, no norte da Tailândia. A caverna de calcário 1.666 metros de comprimento, é o lar de muitos morcegos e andorinhões.

foto-imagem-dançarina-arte

A dançarina se prepara para o desempenho Theyyam na cidade de Kasaragod, na Índia. Theyyam é uma forma de dança ritual popular no norte Kerala que adora aa gama de divindades. Ela pode levar várias horas para pintar cada rosto.

Ilustradora da Malásia faz versões perfeitas de fotos artísticas utilizando apenas grafite

foto-imagem-desenhos-a-grafite

A ilustradora malaia Monica Lee foi artista digital por 12 anos e ela finalmente decidiu sair em busca de seu trabalho dos sonhos na ilustração. Ela, sem muita dificuldade, desenha retratos complexos de moças e rapazes com sardas, homens barbudos e aves, sempre reproduzindo com perfeição textura e sombreamento. Muitas dessas artes levam de três a quatro semanas para ficar prontas.

Alguns de seus desenhos são baseados em fotografias de outros artistas — o da moça com óculos, por exemplo, é baseado em uma foto da modelo Ada Kristine, tirada pela artista Marteline Nystad.

Lee menciona sua admiração pela fotografia e que seu pai trabalhou nessa área. “Eu cresci apreciando o valor das fotografias,” explicou. “É por isso que prefiro o estilo fotorrealista comparado a outros estilos. E, recentemente, eu me deparei com o trabalho de Dirk Dzimirski e Paul Cadden. O realismo do trabalho deles com o grafite me deixou impressionada! Eu quero ser capaz de fazer isso.”

foto-imagem-desenhos-a-grafite foto-imagem-desenhos-a-grafite foto-imagem-desenhos-a-grafite foto-imagem-desenhos-a-grafite foto-imagem-desenhos-a-grafite foto-imagem-desenhos-a-grafite foto-imagem-desenhos-a-grafite foto-imagem-desenhos-a-grafite

18 toboáguas mais espetaculares que existem no mundo!

toboaguas-mais-legais-do-mundo 

Não adianta ir até o parquinho de diversões do seu bairro procurando por diversão, pois lá você definitivamente NÃO vai encontrar. Já postamos aqui no blog algumas listas como as top 16 montanhas-russas mais rápidas que existem no mundo e os 24 lugares mais incríveis e surreais que existem no planeta Terra, provando que existem muito mais lugares legais pra se visitar no planeta do que você imaginava. Agora o assunto é Toboágua. Splash!!! Encontramos os 18 toboáguas mais espetaculares que existem no mundo.

1. Summit Plummet – Flórida, EUA

toboaguas-mais-legais-do-mundo_1

Fica na Blizzard Beach da Disney de Orlando. O ponto mais alto tem 36 m de altura e o toboágua é temático, tem Ski como tema, mas não é gelado.

2. AquaLoop – Coreia do Sul

toboaguas-mais-legais-do-mundo_2

O parque Caribbean Bay na Coreia do Sul tem um toboágua muito legal chamado AquaLoop. Sim, ele tem um loop!

3. Wildebeest – Indiana, EUA

toboaguas-mais-legais-do-mundo_3

O Wildebeest é o mais extenso toboágua do mundo. Cada queda nele dura cerca de dois minutos e meio.

4. Tantrum Alley – Dubai

toboaguas-mais-legais-do-mundo_4

Além de dois dutos largos, a Tantrum Alley tem três funis durante o percurso, pra deixar a brincadeira mais interessante.

5. Bulletbowl – Beijing, China

toboaguas-mais-legais-do-mundo_5

Localizado no famoso Beijing National Aquatic Center (O Watercube), o primeiro parque aquático coberto da China oferece toboáguas com temas mágicos, com uma decoração que até lembra um pouco a do parque da Xuxa.

6. Scorpion’s Tail – Wisconsin, EUA

toboaguas-mais-legais-do-mundo_6

Além de ter dutos transparentes, o ponto mais alto do Scorpion’s Tail tem uma altura de um prédio de dez andares, com uma queda inicial que nos garante a velocidade de 15,2 m/s.

7. Atlantis – Paradise Island, Bahamas

toboaguas-mais-legais-do-mundo_7

O toboágua Atlantis, localizado no parque Leap of Faith, tem uma queda de 18,3 m de altura que parte de cima de uma réplica de um templo Maia, levando os corajosos a um túnel submerso em uma lagoa repleta de tubarões. É um dos mais legais!

8. King Cobra – Nova Jersey, EUA

toboaguas-mais-legais-do-mundo_8

Localizado no parque Six Flags em Nova Jersey, o toboágua King Cobra oferece uma viagem em forma de corrida que termina com um mergulho de 25 pés a um ângulo de 50 graus.

9. Città del Mare – Itália

toboaguas-mais-legais-do-mundo_9

Em um resort localizado na Itália, os hóspedes podem deslizar por um toboágua que termina dentro do Mar Mediterrâneo.

10. Insano – Ceará, Brasil

 

toboaguas-mais-legais-do-mundo_10

Com mais de 41 metros de altura (altura de um prédio de 14 andares), o toboágua Insano é atualmente um dos mais altos que existem no mundo, e vejam só, está localizado no Brasil. Pessoas que deslizam por ele atingem uma velocidade de 105 km/h. A atração fica no Beach Park, em Aquiraz, CE.

11. Boeing 747 – Oregon, EUA

toboaguas-mais-legais-do-mundo_11

Parece um avião, e é um avião, mas é também um toboágua. Está localizado no parque Evergreen Wings & Waves no estado de Oregon, EUA.

12. Jumeirah Sceirah – Dubai

toboaguas-mais-legais-do-mundo_12

Quando as pessoas chegam até o topo do Jumeirah Sceirah, eles entram por uma cápsula e esperam até o chão abrir para então percorrerem um duto com uma extensão de 104 m, atingindo uma velocidade de 80 km/h.

13. Epic Plunge – Navio Norwegian Cruise Line

toboaguas-mais-legais-do-mundo_13

Um toboágua em um cruzeiro, tem como não ser legal?!

14. L2 – Austria

toboaguas-mais-legais-do-mundo_14

O L2 é o primeiro toboágua do mundo a ter dois loops.

15. Giant Slide – China

toboaguas-mais-legais-do-mundo_15

O Giant Slide é uma atração do parque aquático Chimelong. A diferença é que nele deslizamos com boias enormes para 3 ou mais pessoas, e o percurso termina com uma grande rampa.

 

16. Big Thunder – Flórida, EUA

toboaguas-mais-legais-do-mundo_16

A Big Thunder leva os corajosos a descerem por quedas de 45º que terminam em um enorme funil a uma velocidade de 32 km/h. Show!

 

17. Master Blaster Water Coasters – Dubai

toboaguas-mais-legais-do-mundo_17

Localizado no Atlantis The Palms Resort em Dubai, estes toboáguas malucos levam as pessoas a uma aventura muito legal, por uma trilha enorme atravessando o parque.

18. Head-first Racer – China

toboaguas-mais-legais-do-mundo_18

 

Esta também fica no parque aquático Chimelong. Tem oito dutos em paralelo e é projetado especialmente para aqueles que querem competir entre os amigos. Tem até bandeirada!

Confeiteira americana simula cabeças decapitadas em bolo de casamento

Americana esculpiu partes do corpo dela e do marido como se tivessem sido arrancados do corpo.

foto-imagem-confeteia

A confeiteira explicou à rede ABC que o bolo foi feito para combinar com o tema do casamento e porque seu marido, David, é fã de filmes de terror.

— Estávamos assistindo a um filme de horror e eu estava interessada em criar bolos bem realistas. Então tive a ideia de fazer nossas próprias cabeças foto-imagem-confeteia A frase “até que a morte nos separe”, faz parte do discursos que cultuam um casamento firme e duradouro, não é mesmo? Inspirado neste conceito, a confeiteira Natalie Sideserf, de 28 anos, criou um bolo com as cabeças dela e do marido decapitadas. As informações são do jornal britânico Daily Mail. Veja as próximas imagens!

Já pensou em comer um coração ou pulmões? Chef britânica cria bolos inspirados na anatomia humana.

foto-imagem-confeteia

A confeiteira passou 40 horas esculpindo as cabeças cheias de marcas de expressão, para dar impressão realista ao bolo

Artista japonesa vira fenômeno ao ‘levitar’ em fotos

Fotografia VoadoraEm seu blog, a artista japonesa Natsumi Hayashi conta que tem, há vários anos, uma grande obsessão: voar.

Para suprir essa “fixação”, ela começou a postar fotos de si mesma “levitando” no ar.

Via redes sociais, as imagens foram ganhando fama. Tanto que Natsumi foi convidada a expor suas fotos em uma galeria – a Spiral Garden – em Tóquio.

Sua primeira exposição individual no Japão, a mostra levava o nome do projeto em seu blog Today’s Levitation (“A levitação do dia”, em tradução livre).

A artista, de 31 anos, explica que as fotos não são manipuladas no computador. Ela pula diante da câmera até que a imagem capture o momento exato em que está “voando”.

“Às vezes, tenho de dar mais de 200 pulos para conseguir a foto ideal”, diz Hayashi, que conta com a ajuda de amigos para pressionar o botão da câmera.

foto-imagem-artista-japonesa

No site da galeria que abrigou sua exposição, ela explica sua obra: “Estou tentando me expressar como alguém livre da gravidade da Terra. Fazendo isso nas fotografias, eu também não me prendo a convenções da sociedade. Sinto-me como se não estivesse amarrada a tantas coisas e, assim, capaz de ser eu mesma.” Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

foto-imagem-artista-japonesa

A exposição em uma galeria de Tóquio foi sua primeira individual no Japão e levava o nome do projeto em seu blog ‘Today’s Levitation’, ou “a levitação do dia”. Na mostra, suas fotografias são exibidas em grande escala e chegam a 9 metros de largura por 6 metros de altura. Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

foto-imagem-artista-japonesa

A artista japonesa Natsumi Hayashi começou a tirar fotos de si mesma “levitando” para lidar com sua grande obsessão, que era voar. Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

foto-imagem-artista-japonesa

Este ano, suas fotos já foram exibidas em Osaka, no Japão, e em algumas cidades americanas, como Los Angeles. Já as reproduções das fotos são vendidas em diversos museus e galerias do mundo. Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

foto-imagem-artista-japonesa

A internet é a maior plataforma para seu trabalho. Além de postar as fotos em seu blog, ela as divulga no Facebook e no Twitter. Poucos meses após começar o projeto, suas fotos se tornaram extremamente populares na internet. Tanto que levaram muitos jovens a copiá-las e a postarem fotos suas também “levitando”.Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

foto-imagem-artista-japonesa

“Comecei a tirar fotos minhas nas calçadas, pulando da plataforma do trem, deslizando em um restaurante ou suspensa no ar em um campo deserto”, conta Natsumi, que tem 31 anos. Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

foto-imagem-artista-japonesa

Algumas das fotos vêm em pares e, nelas, a artista usa uma técnica para se obter uma imagem tridimensional. Como ela explica, é preciso olhar a imagem da direita com o olho esquerdo e a da esquerda com o olho direito. Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

foto-imagem-artista-japonesa

Para tirar a foto, nada de manipulação no computador. Na verdade, seu processo consiste em ajustar a velocidade do obturador de sua câmera e, em seguida, ela começa a pular até conseguir a imagem que tem em mente. O que pode lhe custar até 200 pulos! Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

foto-imagem-artista-japonesa

Nessa imagem, é preciso usar a mesma “técnica”, cujo objetivo é fazer com que o cérebro mescle as duas imagens, gerando uma sensação de que a foto é 3D. Crédito: “Today’s Levitation” ©Natsumi Hayashi, courtesy MEM, Tokyo

Veja imagens da Comic-Con 2013

COMIC-CON 2013 – A San Diego International Comic-Con  é a principal feira de cultura pop dos Estados Unidos, tendo se tornado, na última década, referência obrigatória para profissionais e amadores atuantes nos quadrinhos, séries de TV, videogames e cinema.O Omelete realiza, tradicionalmente, a maior cobertura do Brasil do evento! Acompanhe aqui todos os artigos da cobertura da Comic-Con 2013 – evento que acontecerá este ano entre 17 e 21 de julho.

foto-imagem-comic1 foto-imagem-comic2 foto-imagem-homem-aranha-viagem foto-imagem-joker foto-imagem-submariner foto-imagem-The-London-Vandal-london-super-comic-con foto-imagem-zelda

fotógrafa quer ajudar mulheres a aceitar marcas do pós-parto

  • A beleza do corpo feminino após o parto

Muitas mulheres ficam com cicatrizes, estrias e flacidez da pele após um parto. É uma realidade que as próprias mulheres muitas vezes tentam esconder e a mídia nunca quer mostrar. Mas uma fotógrafa está na missão de redefinir o conceito do copo da mulher bonita.

Jade Beall, que mora no Arizona, nos Estados Unidos, um dia entrou em seu estúdio com seu bebê de cinco semanas de idade, tirou a roupa, e fez uma série de fotos.

Era um corpo que ela não conhecia. Era um formato de corpo que ela nunca tinha tido antes da gravidez. E ela não gostou muito do que viu.

Mas Beall decidiu publicar as fotos em seu blog de fotografia, com o intuito de compartilhar um outro lado da maternidade, que não costuma ser mostrado.

A mídia está cheia de imagens de corpos femininos. Mas não desses tipos de corpos.

“Tantas pessoas me dizem, ‘Oh, eu nunca vi um corpo como esse”, diz Beall.

“Não quero que as pessoas achem as minhas fotos de mau gosto. Quero que elas olhem e digam, ‘Oh, isso é uma mulher extremamente humana, ou, essa é uma mulher que tem cicatrizes e linhas com histórias para contar.”

“Meu objetivo é ajudar essas mães a se sentirem dignas de serem chamadas de belas,” concluiu Beall.

‘A Beautiful Body’

Logo depois, Beall postou uma foto no Facebook do estômago suavemente flácido de uma amiga, com seus dois filhos aninhados.

A foto se tornou um viral. Começaram a chover e-mails, e centenas de mulheres escreveram para dizer que também queriam fotos tiradas do corpo pós-gravidez.

Beall já fotografou mais de 70 mães que irão aparecer no livro A Beautiful Body (“Um Belo Corpo”, em tradução livre), que deve ser lançado em janeiro. Ela não usou maquiadores, e não há nenhum tipo de retoque nas fotos.

“Quando ela me enviou as primeiras imagens após a sessão de fotos, eu lembro de ter suado frio”, diz Nicole Meade, uma das mulheres que se voluntariaram para ser fotografada.

A maioria das mulheres que participaram têm vergonha de seus corpos, e Meade não é exceção.

Desde que teve seu primeiro filho, ela tentou esconder a barriga. Ir para a praia de biquíni estava fora de questão.

Aterrorizada, mas determinada a assumir o desafio, Meade levou seus três filhos para a sessão de fotos, e quis que eles participassem.

“Perguntei aos meninos, e a reação deles foi, ‘qual é o sentido disso?’ E eu disse que eles estariam fazendo isso por todas as suas primas, e meninas que um dia eles viriam a namorar, ou casar, e por suas próprias filhas – porque não há nenhum registro desse tipo por aí “, diz ela.

“Eu gosto da ideia de que meus filhos vão ter uma noção real de como o corpo de suas esposas vão ficar depois que elas tiverem filhos. Não deve haver nada chocante ou perturbador sobre uma imagem como essa”, diz Meade.

Realidade distorcida

Quando Demi Moore posou nua com sua enorme barriga de grávida, na capa da revista Vanity Fair, em 1991, foi visto como um divisor de águas.

Desde então sessões de fotos de grávidas tornaram-se bastante populares entre as mulheres em geral. Mas é uma história muito diferente para as mulheres após o parto, diz a socióloga Meredith Nash.

“Na cultura popular, apenas as histórias de celebridades que recuperaram o corpo rapidamente após o parto são retratadas,” diz ela.

Esta é uma visão irreal e distorcida da realidade para muitas mulheres – que podem nunca conseguir recuperar seus corpos pré-gravidez.

Beall acredita que se uma celebridade fizesse algo como a Demi Moore fez, mas para mulheres após a gravidez, atitudes poderiam começar a mudar.

“Se alguma mulher famosa quiser entrar em contato comigo, ficarei muito feliz em responder!” Beall ri, acrescentando que ainda está recrutando voluntárias.

Mas Max Vadukul, um fotógrafo baseado em Nova York, que trabalhou para a revista Vogue, não espera ver uma imagem como essa na capa de um revista tão cedo.

“O impulso para retocar uma imagem é algo que a maioria dos fotógrafos e editores de revistas simplesmente não conseguem resistir,” diz Vadukul.

E fazer com que modelos e celebridades aceitem ser fotografadas com suas estrias a mostra seria algo muito difícil, já que seus trabalhos, e toda a indústria ao redor delas, giram em torno do conceito de perfeição.

Nova autoestima

Para alguns, a ideia de que as estrias são belas, é algo muito distante.

Beall diz que muitas de suas clientes, à primeira vista, não gostam das imagens, e focam no que elas veem como áreas problemáticas — um foco de gordura, uma ruga, uma estria.

Mas ela diz que quanto mais elas olham, mais elas começam a enxergar a beleza das imagens.

Christina Berry, que participou do livro, diz que ela sempre lutou para aceitar seu corpo, mas a sessão de fotos deixou ela com uma nova confiança.

“Ainda é um trabalho em andamento. Eu não vou dizer que todos os dias eu me sinto 100% a mais sexy e mais confiante”, diz Berry.

“Mas eu lembro o que eu fiz e vou ver as fotos, e penso ‘Uau, eu sou linda!”

O marido de Berry, Chris, diz que os homens tendem a ter conversas superficiais entre si sobre a maneira como os corpos de suas parceiras mudam, ou podem mudar, após a gravidez – e são, normalmente, despreparados para a realidade.

“Vendo as fotos dela, e depois as fotos de outras mulheres, pensei: “Cara, como eu posso não reconhecer o que é real e importante quando se trata da aparência física da minha mulher. ”

“Eu nunca vou passar pelo o que ela passou para ter essas marcas, e por isso nunca vou precisar lidar com isso, e ela sim.”, diz Chris.

“Eu acho que essas mulheres são poderosas. Acho que minha mulher é incrível, e eu acho que isso era algo que eu precisava ver e precisava entender. E eu espero que as imagens continuem a fazer isso por outros homens,” concluiu Chris.

O projeto de Beall teve um grande apoio no site de financiamento coletivo Kickstarter – mais de mil pessoas apoiaram, e Beall levantou quase três vezes o valor que ela estava procurando.

E ela conseguiu outra vitória. Quando, no outro dia, procurou no Google por “corpo bonito”, ela teve uma grande surpresa.

“Minhas imagens em preto e branco estavam por toda parte, junto com todas aquelas fotos retocadas. Foi como, ‘Oh meu Deus, isso está acontecendo!”, contou Beall.

corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto corpo-pos-parto

NY retrata ‘fantasias fashion’ de mulheres inspiradas em cinema

foto-imagem-aldridge-football

A mostra traz 20 fotografias ampliadas que apresentam “visões satíricas e de humor negro de mulheres, moda e commoditização”.

foto-imagem-aldridge-jess

As narrativas com seu estilo ‘de sonho’ já foram comparadas (aos cineastas) Bergman, Buñuel, Hitchcock e David Lynch”, diz a galeria Steven Kasher. “Ainda que decididamente pós-moderno, seu trabalho é mergulhado no imaginário pop dos anos 1960 e na paleta de cores de Hollywood dos anos 1950.”foto-imagem-aldridge-love-me3

O artista britânico Miles Aldridge, conhecido por seu trabalho em fotografia de moda inspirado em cinema, é o tema da exposição “I Only Want You to Love Me”, na galeria Steven Kasher, em Nova York. foto-imagem-aldridge-love-me4

A mostra vai até 8 de junho, sendo acompanhada pelo lançamento de um livro com o mesmo título. As fotos foram cedidas pela galeria Steven Kasher  foto-imagem-aldridge-ponyst

O trabalho de Aldridge tem destaque e repercussão internacionais; suas fotografias são parte de muitas coleções públicas e privadas. foto-imagem-aldridge-therooms

Observadores dizem que o trabalho de Aldridge mostra as mulheres deslocadas de seus ambientes típicos, em paisagens “de sonhos”, cansadas de serem tratadas como objetos de desejo e sob constante escrutínio.

Fotos de pessoas dormindo nas ruas de Tóquio

Fascinado pela imagem de pessoas dormindo, o fotógrafo britânico Adrian Storey encontrou nas ruas de Tóquio um cenário ideal para seu trabalho.

Para Storey, seu trabalho, iniciado em 2006, é uma crônica de um dos aspectos mais “problemáticos” da sociedade japonesa.

Pelas ruas da capital japonesa, Storey encontrou pessoas com os mais diferentes perfis e dos mais variados estratos sociais dormindo pelas ruas.

Ele diz não ter detalhes das histórias pessoais de cada personagem de suas fotos, já que não esperou que as pessoas acordassem para conversar com elas.

Em sua maioria, diz Storey, os dorminhocos se aconchegam em qualquer canto por estarem “bêbados, exaustos ou terem perdido o último trem para casa”.

“Por um lado, é incrível que em uma cidade de 13 milhões de habitantes seja seguro o suficiente para as pessas dormirem nas ruas sem medo de serem roubadas ou de sofrerem outro tipo de violência”, observa o fotógrafo.

“Mas também há as questões do abuso do consumo de álcool, do excesso de trabalho, do afastamento da família e de comportamentos associados em outras culturas apenas pelos jovens”, diz.

Storey lamenta que as reações ao seu trabalho no Japão se concentraram exclusivamente na questão de quão seguras são as ruas de Tóquio. “O lado mais sombrio do projeto foi amplamente ignorado”, afirma.

Storey começou a fotografar os dorminhocos pelas ruas de Tóquio em 2006.

Ele pretende transformar em livro o projeto, batizado por ele de ‘Let the Poets Cry Themselves to Sleep’ (Deixem os Poetas Chorarem até Dormir, em tradução livre).

Marilyn Monroe – Fotos inéditas – 50 anos de sua morte


Novas imagens de Marilyn Monroe foram divulgadas após 50 anos de sua morte. As imagens estão em um recém-lançado livro chamado “Marilyn by Magnum”, publicado como homenagem ao 50º aniversário da morte da atriz.

Em uma das imagens, Marilyn posa com um conjunto de chiffon rosa de seda pura. A beleza estonteante e o corpo curvilíneo da atriz também se destacam nas imagens, além de um certo ar de fragilidade e tristeza.

As fotos foram tiradas pelo renomado fotógrafo Philippe Halsman no apartamento da atriz em 1952, mesmo ano em que filmou “Torrente de Paixão”, com Joseph Cotten, e “Os Homens Preferem as Loiras”. Marilyn tinha 26 anos e as fotos foram tiradas dez anos antes de sua morte.

O novo livro reúne imagens de propriedade da cooperativa de fotografia Magnum, a famosa agência formada por quatro fotógrafos – Robert Capa, Henri Cartier-Bresson, George Rodger e David “Chim” Seymour, em 1947. Com 80 fotos no total, o livro ainda tem contribuições de Elliott Erwitt, Eve Arnold, Inge Morath, Philippe Halsman, Bruce Davidson, Dennis Stock, Bob Henriques e Erich Hartmann.