Author Archives: Valéria

Aranha-pavão – Cientistas descobrem novas espécies da deslumbrante “aranha-pavão”

aranha-pavao-foto-imagem
Sete novas espécies de aranha-pavão foram descobertas na Austrália.

Conhecidas por suas cores brilhantes e hábitos marcantes de acasalamento, as pequenas aranhas são mais fofas que assustadoras.
O cientista Jürgen Otto descobriu as criaturas com a ajuda do especialista em aranhas David Knowles.

Ele escreveu um artigo em parceria com David Hill, editor da publicação especializada em aranhas Peckhamia.

Imagem do maior inseto do mundo – Espécie de bicho-pau foi batizada de Phryganistria chinensis Zhao

inseto-bicho-pau-phryganistria-chinensis-zhao-foto-imagem-maior-do-mundo-museum-of-west-chinajpg

O bicho-pau mede 62,4 cem – Xinhua

inseto-bicho-pau-phryganistria-chinensis-zhao-foto-imagem-maior-do-mundo

Um bicho-pau de 62,4cm encontrado no Sul da China foi reconhecido nesta quinta-feira por cientistas como o maior inseto do mundo, segundo a imprensa estatal daquele país. O pesquisador Zhao Li, do Museu do Inseto do Oeste da China, em Chengdu, descobriu o animal durante uma pesquisa de campo na região de Guangxi Zhuang.

O recorde anterior era de um bicho-pau de “apenas” 56,7cm que foi encontrado na Malásia em 2008 e, hoje, está em exibição no Museu da História Natural de Londres, no Reino Unido.

O novo recordista foi batizado de Phryganistria chinensis Zhao, e já está servindo de base para uma tese cientifica.

Segundo Zhao Li, ele estava procurando o animal há anos. Em 1998, moradores de Guangxi contaram ter visto um “inseto gigante” de meio metro, tão grosso quanto o dedo apontador de um homem. O cientista ficou intrigado, mas só encontrou o animal em 2014, durante uma inspeção numa montanha a 1200 metros de altitude nos arredores da cidade de Liuzhou.

“Eu estava coletando insetos quando uma sombra escura aparecer à distância, parecia o galho de uma árvore. Quando me aproximei, fiquei chocado ao perceber que as patas eram tão longas quanto seu corpo”, lembra-se Zhao Li.

Bichos-pau representam cerca de 3 mil das 807.625 espécies de insetos do mundo descobertas até hoje.

World Press Photo – O prêmio de fotografia é um dos mais prestigiosos do mundo – Veja os vencedores da edição de 2016

Foto de Warren Richardson em fronteira sérvia tem tema marcante de 2015.
Brasileiro Mauricio Lima ficou com o 1º lugar na categoria ‘Notícias Gerais’.

world-press-photo-2016-foto-do-ano

Imagem eleita ‘foto do ano’ mostra bebê em fuga de migrantes rumo à Europa (Foto: Warren Richardson/World Press Photo 2016)

O prêmio de fotografia World Press Photo, um dos mais prestigiosos do mundo em fotojornalismo, divulgou nesta quinta-feira (18) seus vencedores da edição 2016 – que leva em conta fotos feitas ao longo do ano anterior.

A foto do ano foi para o australiano Warren Richardson, com uma imagem que mostra um bebê de família migrante sendo passado por baixo de uma cerca de arame farpado na fronteira entre Hungria e Sérvia, em agosto de 2015. A cena também levou o 1º lugar na categoria “Notícias Factuais”.

 

O brasileiro Mauricio Lima, que trabalha como freelancer para o jornal americano “The New York Times” e para outras publicações, foi o vencedor com a melhor foto na categoria “Notícias Gerais”, com a imagem de um médico tratando as queimaduras de um jovem combatente do Estado Islâmico de 16 anos de idade perto de Hasaka, na Síria.

world-press-2016-mauricio-lima-vencedor-categoria-noticias-gerais

Foto do brasileiro Mauricio Lima, vencedora na categoria ‘Notícias Gerais’, mostra jovem integrante do Estado Islâmico ferido em combate na Síria (Foto: Mauricio Lima/World Press Photo 2016)

Outra imagem do brasileiro também aparece entre as vencedoras. A cena de crianças de uma tribo munduruku saltando no rio Tapajós em Itaituba (PA) foi eleita a 2ª melhor foto na categoria “Vida Diária”.

world-press-2016-mauricio-lima-2-melhor-categoria-vida-diaria

Foto de crianças indígenas brasileiras saltando em rio foi eleita a 2ª melhor na categoria ‘Vida Diária’ (Foto: Mauricio Lima/World Press Photo 2016)

O júri do prêmio chegou aos vencedores após avaliar 82.951 fotos de 5.775 fotógrafos que se inscreveram no concurso. As inscrições vieram de 128 países diferentes.

Todas as imagens e séries premiadas podem ser vistas na página do World Press Photo. Veja abaixo imagens vencedoras em outras categorias.

nuvem-tsunami-categoria-natureza

Formação de uma ‘nuvem tsunami’ na praia de Bondi, em Sydney, enquanto uma banhista lê um e-book foi a vencedora na categoria ‘Natureza’ (Foto: Rohan Kelly/World Press Photo 2016)

fumaca-fabricas-ganhadora-categoria-vida-diaria-foto

Chineses empurrando um carrinho em bairro vizinho a uma usina termoelétrica abastecida por carvão em Shanxi, na China, foi eleita a melhor foto na categoria ‘Vida Diária’ (Foto: Kevin Frayer/World Press Photo 2016)

crianca-saco.-vencedora-categoria-pessoasjpg

Imagem de uma criança coberta por uma capa de chuva à espera em fila de registro de refugiados em um campo de Presevo, na Sérvia, foi eleita melhor foto na categoria ‘Pessoas’ (Foto: Matic Zorman/World Press Photo 2016)

orangotango-grito-premio-categoria-natureza-foto

Orangotango grita ameaçando outro macho que se aproxima na floresta de Batang Toru, na Indonésia. Série que retrata as dificuldades na sobrevivência da espécie levou o prêmio de melhor história na categoria ‘Natureza’ (Foto: Tim Laman/World Press Photo 2016)

poluicao-categoria-assuntos-contemporaneos-foto

Prédios de Tianjin, no norte da China, são vistos sob espessa camada de poluição, na foto eleita vencedora na categoria ‘Assuntos Contemporâneos’ (Foto: Zhang Lei/World Press Photo 2016)

esqui-acidente-categoria-foto-esportes

O esquiador tcheco Ondrej Bank voa após batida durante campeonato em Colorado, nos EUA, em foto que ficou com o 1º lugar na categoria ‘Esportes’ (Foto: Christian Walgram/World Press Photo 2016)

vulcao-raio-3-melhor-categoria-natureza-foto

O vulcão de Colima, no México, expele lava e nuvem de cinzas que gera raios durante a noite no município de Colima, na foto eleita 3ª melhor na categoria ‘Natureza’ (Foto: Sergio Tapiro/World Press Photo 2016)

militares-estupro-vencedor-categoria-projetos-de-longo-prazo-foto

Série que mostra histórias de mulheres que foram vítimas de estupro ou violência sexual durante o serviço militar nos EUA levou o 1º lugar na categoria ‘Projetos de Longo Prazo’ (Foto: Mary F. Calvert/World Press Photo 2016)

Grande vencedora

A “foto do ano”, imagem em preto e branco intitulada “Esperança de uma nova vida”, foi feita pelo fotógrafo independente Warren Richardson na noite de 28 de agosto de 2015, quando alguns refugiados tentavam entrar na Hungria.

A foto é “poderosa por sua simplicidade”, disse o presidente do júri e diretor de fotografia da AFP, Francis Kohn. “Vimos esta foto cedo [no processo de seleção] e soubemos que era uma imagem importante”.

Para Huang Wen, membro do júri e diretor de desenvolvimento de novas mídias da agência chinesa Xinhua, a foto é “perturbadora”. “Você observa a ansiedade e a tensão de forma sutil. A imagem mostra a emoção e os sentimentos de um pai que tenta introduzir o filho no mundo ao qual deseja pertencer”.

Na noite da foto, depois de passar cinco dias acampado com os refugiados, Warren Richardson viu a chegada de quase 200 pessoas que se deslocavam escondidas entre as árvores, ao longo da linha de fronteira. Primeiro fizeram passar as mulheres e as crianças, depois os pais de família e os idosos.

“Brincamos de gato e rato com a polícia a noite toda”, disse o fotógrafo, citado no comunicado da World Press Photo.

“Eram três da manhã quando fiz a foto. Não podia usar o flash, porque a polícia tentava encontrar estas pessoas. Aproveitei apenas a luz da lua”, explicou o australiano.

Fotos e imagens do pôr-do-sol pelo mundo – Fotógrafo é Paul Reiffer

foto-paul-reifferAlgumas pessoas viajam pelo mundo apenas por prazer, enquanto outras buscam um objetivo ao realizar sua viagem. O fotógrafo e ex-modelo Paul Reiffer, de 35 anos, definitivamente pertence a este último grupo. Paul percorre o mundo capturando fotografias incríveis do nascer e pôr-do-sol em meio a alguns dos mais icônicos cenários de cada cidade.

Sua companheira de viagem foi uma câmera Phase One de 80 megapixels, que custou a bagatela de £30 mil. Quem vê as imagens na tela não consegue imaginar que cada fotografia pode levar dias ou até mesmo horas de planejamento, enquanto o fotógrafo procura os melhores ângulos para capturar a paisagem. E, apesar de tanto planejamento, Paul precisa colocar a ideia em prática em poucos minutos, antes que o sol se ponha – ou que o dia raie.

O fotógrafo acrescenta que gasta em torno de £ 5 a 6 mil para realizar cada foto, incluindo os gastos com a viagem. “Há uma foto que eu estou tentando fazer há cerca de 10 anos, que é da Ponte Golden Gate saindo para fora do nevoeiro ao amanhecer. Já estive lá 40 ou 50 vezes“, conta ele, que seguiu carreira como modelo até decidir que seu lugar era realmente atrás das lentes.

Confira só algumas imagens clicadas por ele:

Sydney Opera House, Sydney, Austrália

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem

Região Guangxi Zhuang, China

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-regiao-guangxi-zhuang-china

Arizona, Estados Unidos

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-arizona-estados-unidos

Empire State Building, Nova Iorque, Estados Unidos

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-empire-state-building-nova-iorque-estados-unidos

Bay Bridge, São Francisco, Estados Unidos

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-bay-bridge-sao-francisco-estados-unidos

Veneza, Itália

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-veneza-italia

Tokyo Tower, Tóquio, Japão

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-tokyo-tower-toquio-japao

Lago Tahoe, Califórnia, Estados Unidos

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-lago-tahoe-california-estados-unidos

Califórnia, Estados Unidos

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-california-estados-unidos

Cidade Proibida, Pequim, China

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-cidade-proibida-pequim-china

Lyme Regis, Inglaterra

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-cidade-proibida-lyme-regis-inglaterra

Portland, Inglaterra

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-portland-inglaterra

Sydney, Austrália

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-sydney-australia

Huvafen Fushi, Maldivas

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-huvafen-fushi-maldivas

Otago, Nova Zelândia

foto-por-do-sol-fotografo-paul-reiffer-imagem-otago-nova-zelandia

Artes Gifs – Gifs animados

Karan Singh é um artista e ilustrador que gosta de comer pizza bebendo café.
Seu trabalho em GIFS interpretam o minimalismo de forma lúdica, dando uma atenção especial à profundidade, dimensão e volumes através da repetição de padrões.karan-singh-arte-gifs-animadokaran-singh-arte-gifs-animado-01karan-singh-arte-gifs-animado-02

karan-singh-arte-gifs-animado-03

karan-singh-arte-gifs-animado-04

karan-singh-arte-gifs-animado-05

karan-singh-arte-gifs-animado-06

karan-singh-arte-gifs-animado-07

karan-singh-arte-gifs-animado-08

karan-singh-arte-gifs-animado-09

As 10 caras mais engraçadas que os bichos fazem

De nada adianta o talento para a fotografia se o profissional não está no lugar certo e no momento certo. Estes aqui estavam e registraram algumas das expressões faciais mais inusitadas em animais. (Todas as fotos foram cedidas por seus autores à BBC Earth.)

‘Enchendo a cara de nozes’, por Barb D’Arpino

foto-tamias-spp-esquilo-imagem

As tâmias (Tamias spp.) são os membros menos numerosos da família dos esquilos, mas são cheios de vida. Algumas até viraram estrelas do cinema, com na série Alvin e os Esquilos.
Das 25 espécies de tâmias conhecidas no mundo, 24 são encontradas na América do Norte.
O animal fotografado aqui era um velho conhecido da fotógrafa Barb D’Arpino. “Toda vez que eu a via, não conseguia parar de sorrir e registrar o seu comportamento”, conta ela à BBC Earth.

‘O Grito’, por Peter Brannon

garca-tricolor-egretta-tricolor-foto-imagem

A garça tricolor (Egretta tricolor), também conhecida como garça da Louisiana, é uma ave americana de médio porte que gosta de viver em pântanos e mangues.
Tanto quando voam quanto em repouso, elas seguram o pescoço em uma curva em forma de “S”.

É óbvio porque Brannon compara sua imagem com o quadro O Grito, de Edvard Munch. Ele ainda se espanta quando olha para o registro: “Até hoje não sei quem levou o maior susto, se fui eu ou a garça”, relata.

‘Posando para a câmera’, por Bob Hadfield

macaco-nigra-foto-imagem

Conhecido pelo nome científico de Macaca nigra, estes animais são macacos encontrados apenas em algumas ilhas da Indonésia e estão em estado crítico de risco de extinção.

Os machos mostram sua agressividade encarando os outros com a boca aberta, sorrindo ou bocejando. Demonstram submissão beijando os outros na boca ou fazendo caretas.

Hadfield acredita que o macaco da foto “literalmente sorriu para a câmera… Pareceu uma resposta inacreditavelmente humana”.

‘Alce sacudido’, por Tor Atle H. Kleven

alces-alces-foto-image

Os alces (Alces alces) são a maior espécie de cervos do planeta, chegando a medir 2 metros ou mais de altura até os ombros.
Eles vivem nas regiões mais frias do planeta.

Kleven teve a sorte de capturar esta fêmea em pleno movimento, na Suécia.

‘Because I’m happy…’, por Giorgia Marinoni

ra-agalychnis-callidryas-foto-imagem

A rã de olhos vermelhos (Agalychnis callidryas) é um dos moradores mais coloridos e estranhos da América Central, tendo sido batizada dessa maneira por causa de seus olhos protuberantes.
Quando se sente ameaçado, esse anfíbio típico das florestas tropicais “acende” seus olhos vermelhos, seus pés alaranjados e suas laterais azuis, na esperança de assustar predadores e ganhar segundos preciosos para sua fuga.

Esta rã parece estar sorrindo para a lente da italiana Marinoni, que tirou esta foto no Oasi di Sant’Alessio, em Pavia, na Itália.

‘Hora da soneca’, por Haydn Bartlett

foto-orangotangos-pongo-spp-imagem

Os orangotangos (Pongo spp.) são os únicos grandes primatas da Ásia, com uma espécie encontrada em Bornéu e outra em Sumatra. Esses “habitantes da floresta”, como seus nomes querem dizer, são notadamente inteligentes.

Algumas populações usam pedaços de pau para procurar cupins para comer, e essa técnica é ensinada de geração para geração.

Os machos são maiores do que as fêmeas e também se distinguem pelas enormes bochechas e uma protuberância no pescoço.

‘Língua enrolada’, por Mike Franks

giraffa-camelopardalis-foto-imagem

Não é novidade que a girafa (Giraffa camelopardalis) é o animal terrestre mais alto e é típico da África, mas poucas pessoas sabem que elas têm uma língua habilidosa que chega a medir meio metro de comprimento.

Quando temos a impressão de que a girafa está nos mostrando a língua, é mais provável que ela esteja prestes a enrolá-la em volta de folhas.
“O que eu adoro nas girafas é que a cada novo clique elas fazem uma cara diferente”, diz Franks à BBC Earth.

‘Careta’, por Ranveig Marie Nesse

foto-veados-vermelhos-cervus-elaphus-imagem

Os veados vermelhos (Cervus elaphus) são habitantes comuns na Europa, na Ásia e no Norte da África. Eles são ruminantes que se alimentam de pasto e de pequenos arbustos.
Apenas os machos possuem chifres impressionantes como este aqui, que começam a crescer na primavera e caem no inverno.

Este veado vermelho, capturado por Nesse em Namsskogan, na Noruega, poderia muito bem estar apenas comendo, mas a fotógrafa acredita que ele estava tentando assustá-la.

‘Alpaca de ressaca’, por Aaron Sarauer

alpaca-vicugna-pacos-foto-imagem

A alpaca (Vicugna pacos) é um parente do camelo que foi domesticado há milhares de anos na América do Sul.

Ela é famosa por “cuspir” saliva e ácido estomacal em outras alpacas para expressar seu descontentamento ou recusar um avanço amoroso. Mas não é algo comum.

“Quando tirei esta foto, foi difícil segurar o riso. Ela me lembra a sensação de uma bela ressaca, quando a última coisa em que você pensa é na sua aparência”, afirma Sarauer à BBC Earth.

‘Olhar cintilante’, por Haydn Bartlett

coruja-das-neves-bubo-scandiacus-foto-imagem

Não se engane com este olhar “vesgo” capturado em um incrível close de uma coruja: trata-se de uma das aves de rapina mais eficientes do planeta.
A coruja é frequentemente tida como um símbolo de sabedoria e mistério, apesar deste retrato feito por Haydn Bartlett de uma coruja-das-neves (Bubo scandiacus).

Dariusz Klimczak – Fotos surreais

O fotógrafo polonês Dariusz Klimczak constrói paisagens surreais através da manipulação. Cada imagem é composta por vários elementos que trabalham em conjunto para apresentar uma coesa, embora incomum, cena. Na maioria das vezes, os as fotografias de Klimczak estão em terras áridas e desertas.dariusz-klimczak-foto-surreal

dariusz-klimczak-foto-imagem-surreal

dariusz-klimczak-foto-surreal-imagem

dariusz-klimczak-surreal-foto-imagem

foto-dariusz-klimczak-imagem-surreal

dariusz-klimczak-surrea-foto-imageml

dariusz-klimczak-surreal-foto-imagem-fotografia

fotografia-dariusz-klimczak-surreal-foto-imagem

fotografia-dariusz-klimczak-surreal-foto

Aurora Boreal – Com a chegada do outono, turistas vão à caça do fenômeno na Noruega e Finlândia

aurora-boreal-noruega-imagem-foto
Com a chegada do outono no Hemisfério Norte, grupos de turistas vão até o norte da Noruega e da Finlândia para tentar visualizar um fenômeno tão fascinante quanto imprevisível: a aurora boreal.O fenômeno, geralmente avermelhado ou esverdeado, ocorre o ano todo na região polar, mas não pode ser visto no verão por causa da claridade do céu tanto de dia quanto à noite. A partir do outono, entre setembro e outubro, a escuridão no fim da tarde e à noite permite observar as auroras até março ou abril. Elas ocorrem quando “ventos” de partículas carregadas de energia do Sol interagem com gases da atmosfera terrestre.aurora-boreal-noruega-foto-imagem

‘Caçadores’ de auroras

Algumas agências de turismo especializadas estudam informações meteorológicas para encontrar o melhor lugar para ver as luzes a cada dia, mas a maior dificuldade é que as auroras são imprevisíveis. Por isso, os turistas que vão à sua procura são chamados de “caçadores de auroras”.

As excursões para os lugares onde é possível ver o fenômeno costumam ser em micro-ônibus ou em trenós puxados por cães, especialmente para chegar em áreas de difícil acesso.

Games of Thrones – 10 lugares incríveis para visitar – Veja as imagens dos locais das filmagens da série da HBO de maior sucesso

foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitarA série da HBO faz o maior sucesso. “Game of Thrones” é conhecida por suas reviravoltas, fantasias e os diversos personagens/atores talentosos. Mas, você não precisa ser um super fã para querer conhecer esses 10 lugares incríveis onde a história foi filmada.Os 7 reinos de Westeros, que estão localizados pela Europa, Norte da África, Ilha de Malta, Irlanda, viraram pontos turísticos rapidamente, assim como aconteceu com o Senhor do Anéis e as peregrinações pela Nova Zelândia.Mesmo quem não gosta do seriado ou nunca viu, com certeza vai apreciar essas belezas naturais. Aqui, uma lista feita pelo site Mother Nature Network:

dubrovnik-croacia-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

 

1) Dubrovnik, Croácia: Graças às muralhas históricas, Dubrovnik é uma das cidades mais importantes da série. Turistas já visitavam a área antiga, mas durante a 2a e 3a temporada, o local se destacou. Muitos cenários foram alterados digitalmente, mas mesmo assim, diversas empresas criaram um roteiro exclusivo para levar as pessoas até os sets das filmagens. A maioria das cenas foram capturada no centro da cidade, o que facilita o passeio.

split-croacia-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

2) Split, Croácia: Ao lado de Dubrovnik fica Split, cercada pelas ruínas romanas do Palácio do Imperador Diocleciano. As filmagens da 4a temporada foram feitas aqui e alguns dos melhores restaurantes e bares da cidade estão localizados perto do palácio de GoT.

dark-hedges-irlanda-do-norte-foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

3) Dark Hedges, Irlanda do Norte: Neste lugar, as árvores que tem mais de 200 anos, formam a estrada de passagem do rei. Dark Hedges fica perto da cidade turística de Ballymoney. O pavimento foi removido com edição digital, mas as árvores arqueadas se mantiveram quase inalteradas durante toda produção. Elas realmente se espalham sobre a pista, criando um túnel que parece se estender até o horizonte.

mdina-malta-foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

4) Mdina, Malta: Mdina é a antiga capital de Malta. Localizada no centro da Ilha, sua arquitetura tem mais de 1.000 anos. Chamada de “Cidade Silenciosa” tem vistas fabulosas de campos e até do Mar Mediterrâneo. As ruas estreitas foram usadas nas filmagens e cenas de fundo na primeira temporada. Mdina logo foi substituída por Dubrovnik.

castelo-de-doune-escocia-foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

5) Castelo de Doune, Escócia: O castelo localizado no centro da Escócia é aberto ao público para visitação. Foi utilizado em várias cenas de Winterfell. Suas paredes de pedra e o pátio são facilmente reconhecidos por qualquer fã de Game of Thrones.

parque-de-vatnajokull-islandia-foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

6) Parque de Vatnajökull, Islândia: Vatnajökull é a maior massa de gelo do país. A beleza do parque, que cobre quase 10% de toda a ilha, atrai turistas e aventureiros. Caminhadas diárias pelo local são permitidas, assim como visitas noturnas mais longas.

lago-myvatn-islandia-foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

7) Lago Myvatn, Islândia: localizado no norte da Islândia, a área é conhecida por suas características vulcânicas. O lago tem uma paisagem incrível, além de possuir cachoeiras. Muitas aves migratórias passam por aqui e o lugar possui até locais próprios para banhos no verão.

parque-florestal-de-tollymore-irlanda-foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

8) Parque florestal de Tollymore, Irlanda: O primeiro parque florestal da Irlanda do Norte abriga 1.600 hectares e possui montanhas ao seu redor, que também são vistas ao fundo de várias cenas.

gozo-malta-foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

9) Gozo, Malta: A segunda maior ilha de Malta é um dos lugares favoritos dos turistas que querem escapar das ruas históricas super movimentadas. O arco chamado de “Azure Window” foi formado após duas cavernas calcárias entrarem em colapso. Uma das cenas memoráveis: o casamento de Daenerys Targaryen e Genghis Khan – Khal Drogo. As áreas em volta também foram utilizadas para os nômades Dothraki.

ksar-de-ait-benhaddou-marrocos-foto-imagem-lugar-incriveis-Game-Of-Thrones-para-visitar

10) Ksar de Aït Benhaddou, Marrocos: Patrimônio mundial da Unesco, a cidade possui diversas casas e vilas fortificadas (ksar), além de extensos areais e dunas, por estar justamente entre o deserto do Saara e as cadeias montanhosas de Alto Atlas. A cidade é considerada a praia mais agradável do país. Aqui também foram filmados filmes como A Múmia, Gladiador, Alexandre, Príncipe da Pérsia e outros.

Satao – Um dos elefantes mais famoso e importantes do Quênia e morto por caçadores de marfim

satao-elefante-mais-famoso-e-importante-do-quenia-morto-imagem-e-foto

Morte assinala onda recente de caça por marfim na África

Caçadores sedaram, envenenaram, mataram e cortaram rosto e presas de Satao, um dos elefantes mais famosos e importantes do Quênia. Satao era um dos últimos elefantes africanos chamados de “great tuskers”, ou grandes presas, elefantes com presas de marfim pesando mais de 45 quilos. Ele foi envenenado por caçadores, depois de anos adaptando seu comportamento para se esconder de seres humanos.

O animal provavelmente nasceu na década de 1960 e foi assassinado por dardos envenenados em um canto remoto do Parque National de Tsavo. Segundo pesquisadores, o elefante havia migrado para a região em busca de água fresca, depois de tempestades recentes.

Mark Deeble, um documentarista britânico, passou longos anos filmando Satao e outros elefantes. Ele conta que Satao sempre se movia de arbusto em arbusto, escondendo suas presas entre a folhagem. Ele acredita que o elefante apresentava esse comportamento para ocultar o marfim dos humanos. “Ele tinha consciência que os humanos eram perigosos para ele”, diz o documentarista. Sua carcaça foi encontrada com o rosto e presas de marfim arrancados e as quatro pernas separadas.

Richard Moller, da organização não-governamental Tsavo Trust, que luta para proteger a vida selvagem, monitorou o animal por meses, antes de encontra-lo morto no dia 30 de maio. Ele chamava o elefante de “ícone” e diz que “não há duvidas que Satao está morto, assassinado por um caçador de marfim, envenenado por um dardo venenoso para alimentar a demanda insaciável de marfim de países distantes”.

satao-elefante-mais-famoso-e-importante-do-quenia-morto-foto-imagem